Antes de se fazer um levantamento das realidades dos diálogos entre as pautas de educação e cultura nos territórios por meio dos atores dos Comitês de Educação Integral, ponderou-se que poder-se-ia fazer antes um mapeamento de produções acadêmicas (relatórios de pesquisa, dissertações de mestrado e teses de doutorado), para dar ao grupo de pesquisadores do projeto uma visão sobre o olhar que a academia está tendo para a produção de conhecimento sobre a intersetorialidade nos territórios entre práticas artísticas, culturais e educativas.

Para tanto, o grupo do projeto decidiu realizar mapeamento de produções acadêmicas já publicizadas e dispostas, por exemplo, no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que é um ambiente virtual que oferece acesso aos textos completos de artigos selecionados de mais de 21.500 revistas internacionais, nacionais e estrangeiras.

Ao fazer uma busca no Portal de Periódicos da Capes para o tema “Educação e Cultura”, obteve-se a indicação de 1.879 trabalhos escritos já revisados por outros acadêmicos. Dentre essas produções, foram identificados textos com recortes variados na temática de educação e cultura, mas muitos deles tratando do enlace entre educação e cultura no ambiente escolar, que é justamente o que interessa ao projeto. A seguir,apresentamos alguns dos temas que apareceram no mapeamento feito pelo referido portal:

  • Educação Escolar Quilombola: currículo e cultura;
  • Educação e cultura popular;
  • Educação Física, cultura e escola;
  • Educação e cultura da paz;
  • Educação Escolar Indígena, matemática e cultura;
  • A educomunicação na educação musical e seu impacto na cultura escolar;
  • Educação, memória e identidade: dimensões imateriais da cultura material escolar.

Pontua-se que a leitura dos textos mapeados forneceram subsídios para se pensar os conteúdos de outras ações do projeto de parceria UFPE-MINC (com apoio da Fundaj) na tentativa de potencializar o trabalho de elaboração de indicadores qualitativos de integração de processos culturais e pedagógicos. O mapeamento inicial também estimulou verificar o que de produção acadêmica existe no campo da educação integral, já que é uma perspectiva de educação integradora dos várias áreas do conhecimento.

E, entendendo que o tema da educação integral em jornada escolar ampliada no ensino fundamental no Brasil está vinculado fortemente ao Programa Mais Educação do Governo Federal, por essa ser a maior ação do estado brasileiro para induzir a escola integral em tempo integral, entende-se que seria importante mapear textos que tratavam de levantamentos a respeito do Mais Educação.

Nesse processo de estudo/pesquisa, descobriu-se a dissertação de mestrado de Cris Regina Gambeta Junckes, "Escola de tempo integral e o direito à infância: uma análise da produção acadêmica (1988-2014)", que nos sinaliza que há uma alta proporção de produções acadêmicas sobre a escola de tempo integral no Brasil mobilizada pela criação do Mais Educação em 2007. A autora, pesquisando sobre essa bibliografia, verificou que existe alta produção de dissertações sobre o tema — mais especificamente 209 dissertações, sendo 178 identificadas no Portal da Capes e 31 nas demais fontes on lines pesquisadas, com muitas delas tendo sido produzidas nos últimos anos (sendo cerca de 86% produzidas a partir de 2008).

No garimpo de ações de mapeamentos da pauta da educação integral, viu-se (em diálogo com pesquisadores da Fundaj) ainda o Edital de Publicação de Educação Integral em Tempo Integral, lançado pela Fundaj em 2015 para selecionar trabalhos que discutem o tema Educação Integral em Tempo Integral, sob a perspectiva de sua história, políticas e/ou práticas.

Destaca-se que esse edital, que é coordenado por uma Comissão Editorial de Educação Integral em Tempo Integral mista (formada por funcionários da Fundaj,professores universitários e membros de instituições civis que têm experiência com o tema da educação integral), é visto pela Fundaj como um marco diante da necessidade de registrar e publicizar as experiências da Educação Integral vividas nos oito anos de implementação do Mais Educação, valorizando e socializando os saberes e qualificando práticas educativas desenvolvidas nos territórios.

Dentre os 38 trabalhos do Edital inscritos e validados muitos trataram da inovação de práticas escolares estimuladas pelas ações da educação integral,abrangendo o campo da cultura e/ou das artes, como é o caso da dissertação de mestrado que abordou a questão da música no Programa Mais em escolas paraibanas.


Comentários

Ainda não há comentários.