Crédito: NDI_UFSC
Crédito: NDI_UFSC

Um amplo mapeamento das práticas de cultura e artes nas instituições públicas de Educação Infantil de todo país teve início no último dia 17/5, com o envio de um formulário de pesquisa às 92.994 creches e escolas, com ênfase em práticas pedagógicas que envolvam aspectos culturais e artísticos dos territórios.

A pesquisa possibilitará traçar perfis das parcerias realizadas, as boas práticas e os pontos necessários de avanço no diálogo entre as escolas, artistas, grupos culturais e comunidade. A ideia é valorizar, na elaboração dos planos político-pedagógicos, as práticas socioculturais e as expressões artísticas como saberes essenciais na construção de um processo educativo amplo, dialógico e plural desde a infância.

A partir da realidade das escolas e creches, das crianças, de seus territórios e das experiências já desenvolvidas, será proposta uma metodologia de formação para docentes e gestores fundamentada no brincar e na diversidade cultural brasileira. Os pilotos dessa metodologia serão desenvolvidos nos territórios de diversidade de Santa Catarina.

A pesquisa também buscará informações sobre as ações intersetoriais em curso, a existência e as condições oferecidas para a formação continuada dos educadores, as práticas de alimentação, as políticas públicas implementadas, entre outros aspectos.

Todo processo de monitoramento e sistematização das informações da pesquisa conta com apoio técnico do Instituto Lidas.

Esta é a primeira etapa do Programa Extensionista Cultura, Artes e Educação Infantil, desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina, em parceria com a Universidade Federal do Sergipe e a Universidade Federal do Ceará, com apoio do Ministério da Cultura.

Cultura Educa

Em 2011, foi assinado o primeiro acordo de cooperação técnica interministerial entre o Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, para construção de políticas públicas intersetoriais de cunho programático, visando inicialmente a relação entre políticas culturais e o campo da educação básica de tempo integral e, posteriormente, o ensino superior e técnico/tecnológico. Assim surgiram os programas Mais Cultura nas Escolas, Mais Cultura nas Universidades e Pronatec Cultura.

Em 2015, o MinC fortaleceu as políticas públicas de cultura voltadas para o campo da educação infantil, consolidando a parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina, a fim de pensar um programa nacional a partir da relação das escolas e creches com o que era vivido e produzido artística e culturalmente nos territórios e como esse diálogo pode colaborar na elaboração de processos pedagógicos que valorizem a diversidade cultural brasileira.

O programa dá prosseguimento ao mapeamento inicial realizado em 2014 pela Universidade Federal do Ceará, a partir da premiação “Escola: lugar de brincadeira, cultura e diversidade”, que premiou 40 instituições em todo país a partir de experiências realizadas com arte e cultura.

Em 5 de maio de 2016 foi assinado um novo acordo com o MEC, para consolidação das ações já realizadas, ampliando o campo das políticas culturais voltadas a todos os níveis da educação.

Para melhor relacionar as ações e as políticas desenvolvidas nos territórios e a realidade socioeconômica das comunidades neles inseridos, seus aspectos culturais e potencialidades, foram georreferenciados na plataforma CulturaEduca os equipamentos públicos de Cultura e Educação (além de Assistência Social, Saúde e outros), sobrepostos às bases censitárias, a fim de ampliar a percepção dos territórios e suas características determinantes.

O desafio agora é agregar à plataforma os agentes que atuam nos territórios, geolocalizando seus locais de atuação, o que possibilitará melhor compreensão, para gestores públicos, pesquisadores, educadores, e diferentes agentes, das dinâmicas operantes, dos espaços a serem ocupados e dos pontos nevrálgicos de ação.

Rede Arte, Cultura e Educação Infantil

O processo de construção do programa nacional tem como um dos passos a articulação de ampla rede de arte, cultura e Educação Infantil, com a participação de educadores, gestores, arte-educadores, artistas, grupos culturais, mestres dos saberes populares/tradicionais e pesquisadores, para juntos pensarem e dialogarem sobre metodologias, planos políticos pedagógicos, relações intersetoriais e ações envolvendo os territórios e suas experiências concretas.

A rede reunirá os principais agentes, coletivos e instituições que trabalham e discutem a pauta da Educação Infantil no país e os artistas e grupos culturais que já atuam nos territórios e comunidades onde as escolas estão inseridas.

O CulturaEduca foi concebido para ser a plataforma de interação virtual dessas redes, agregando, além dos dados e informações dos equipamentos/censo, uma ferramenta de cadastramento em que todos os agentes atuantes nos territórios podem se cadastrar gratuitamente, podendo interagir, na plataforma, com os demais agentes, instituições, movimentos, coletivos, instâncias representativas e equipamentos existentes.

(Saiba como se cadastrar. É simples e rápido)

Comentários

Ainda não há comentários.